Home
 
 
 
 
 
 
 

26/11/2019 

         A Importância do Fruto do Espírito na Vida do Crente

Gl. 5.22-25

Int.- Quando aceitamos a Jesus Cristo como Salvador pessoal, tivemos a nossa vida transformada pelo Senhor. Abandonamos as obras das trevas e passamos a praticar as obras da luz.

      A Palavra de Deus penetrou até a divisão da alma e do espírito e mudou a nossa vida. Nossos pensamentos foram transformados; a nossa maneira de viver mudou; nossas palavras passaram a ser outra.

      Jesus mudou o nosso temperamento, mudou os nossos sentimentos.

II Co. 5.17: Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.

      Fomos revestidos do novo homem que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.

      Deus espera que nos revistamos como eleitos de Deus.

Cl. 3.12: Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade.

- O eleito de Deus é santo e amado por Deus.

- O eleito de Deus se apropria dessas virtudes na sua vida.

- O eleito de Deus age com misericórdia, com benignidade, com humildade, com mansidão, com longanimidade.

- O eleito de Deus faz a diferença nesse mundo.

- O eleito de Deus manifesta o fruto do Espírito em sua vida.

V. 24: E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências.

- O crente agora que é de Cristo crucificou os desejos da sua carne.

- Não podemos viver um cristianismo religioso apenas de teoria.

- Precisamos mostrar a nossa fé pelos frutos que produzimos.

Mt. 7.20: Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.

- O crente é conhecido no mundo pelo seu fruto; pela sua maneira de viver.

- Que fruto você tem apresentado às pessoas?

Rm. 6.22: Mas agora, libertados do pecado e feitos servos de Deus, tendes vosso fruto para santificação, e por fim a vida eterna.

- O crente foi libertado do pecado e feito servo de Deus.

- Agora o fruto do crente deve ser em santificação  da carne e do espírito, para a glorificação do Senhor.

- O crente agora vive na contra mão do mundo.

I- Somos Convidados a Produzir o Fruto do Espírito.

- O fruto do Espírito deve ser cultivado pelo crente na sua vida de fé.

Fp. 1.11: Cheios de frutos de justiça, que são por Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus.

- O objetivo do fruto do Espírito na vida do crente é para mostrar ao mundo o amor de Deus revelado na vida do crente, e para glória e louvor de Deus.

- O fruto do Espírito manifesta onde existe bondade, justiça e verdade.

Ef. 5.9: Porque o fruto do Espírito está em toda bondade, e justiça, e verdade.

- Aonde há maldade, injustiça e falsidade, o fruto do Espírito não se manifesta.

- Para o apóstolo Paulo o que contava na vida do crente era o seu fruto. Não era o barulho que o crente fazia, não era a demonstração de espiritualidade, mas o seu fruto.

Fp. 4.17: Não que procure dádivas, mas procuro o fruto que abunde para a vossa conta.

- Paulo dizia que o fruto que o crente produz fica na sua conta para com Deus.

- O crente deve viver de tal maneira que as pessoas vejam o fruto do Espírito em nós.

- Viver um cristianismo sem apresentar o fruto do Espírito é viver uma religiosidade aparente apenas.

- O que o mundo quer ver em nós é a transformação que Deus operou em nossa vida.

- Isso é que conta.

- Em nossos dias tem muitos crentes que não tem apresentado o fruto do Espírito, que é fundamental na vida cristã.

II- As Virtudes do Fruto do Espírito.

1- A Primeira Virtude do Fruto do Espírito é o Amor.

- O amor é à base do Evangelho de Jesus Cristo.

Rm. 12.10: Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros.

- Sem amor o nosso cristianismo é nulo.

I Co. 13.1: Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.

- Deus é amor e quer que expressemos o seu amor em nossas atitudes.

2- A Segunda Virtude do Fruto do Espírito é Gozo.

- Que é a alegria.

Fp. 4.4: Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.

- A alegria do crente é uma marca da presença de Deus.

Sl. 100.2: Servi ao Senhor com alegria e apresentai-vos a ele com canto.

3- A Terceira Virtude do Fruto do Espírito é a Paz.

Tg. 3.18: Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.

- A paz é o resultado da presença de Deus na vida do crente.

II Ts. 3.16: Ora, o mesmo Senhor da paz vos dê sempre paz de toda maneira. O Senhor seja com todos vós.

- Amados, viver um cristianismo sem paz é um contra senso da fé cristã.

4- A Quarta Virtude do Fruto do Espírito é a Longanimidade.

- Longanimidade é a virtude de suportar com firmeza contrariedades em benefício de outrem.

Ef. 4.2: Com toda a humildade e mansidão, com longanimidade, suportando-vos uns aos outros em amor.

- Você tem suportado o seu irmão?

- O crente suporta o seu irmão por causa do amor de Deus derramado em seu coração.

5- A Quinta Virtude do Fruto do Espírito é a Benignidade.

- Benignidade é a qualidade de quem é dotado de características boas, como a generosidade, a bondade e a benevolência.

Ef. 4.32: Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.

- O crente mostra a sua benignidade no relacionamento com o próximo.

6- A Sexta Virtude do Fruto do Espírito é a Bondade.

- Bondade é a qualidade de quem tem alma nobre e generosa; inclinado a fazer o bem.

- Essa virtude é muito semelhante a benignidade.

Gl. 6.9: E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido.

- O fruto do Espírito faz o crente ter uma alma generosa.

- Faz o crente a praticar o bem com o seu próximo.

- Você já fez o bem para alguém hoje?

7- A Sétima Virtude do Fruto do Espírito é a Fé.

- Fé é crença, convicção, certeza, segurança.

- A Fé é uma qualidade que tem muito poder.

- Embora Satanás esteja fazendo de tudo para destruir nossa amizade com Deus, à fé nos dá a capacidade de apagar todas as flechas ardentes do Maligno.

- Com fé, conseguimos vencer problemas tão grandes como uma montanha.

Mc. 11.22: E Jesus, respondendo, disse-lhes: Tende fé em Deus.

8- A Oitava Virtude do Fruto do Espírito é a Mansidão.

- Mansidão é a qualidade ou condição de quem é manso.

Ef. 4.26: Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira.

- Paulo está aqui dizendo: O crente pode até ficar irado, mas não peque.

- Não se por o sol sobre a ira é não deixar a ira passar para o dia seguinte.

- O crente ora, canta e na primeira discussão perde a paz do coração.

- Ter mansidão é aguentar aqueles que nos contrariam, é suportar os opositores, é não deixar o velho homem se levantar em nossa vida.

Mt. 5.5: Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra.

- Ser manso não é ser bobo diante de quem nos agride, mas é ter o controle diante de situações contrárias a nossa vontade.

- Seja manso em sua maneira de viver.

9- A Nona Virtude do Fruto do Espírito é a Temperança.

- Temperança significa ter moderação, equilíbrio.

Pv. 25.28: Como a cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não pode conter o seu espírito.

- Impossível ser manso, sem temperança.

- Impossível ter alegria e paz, sem temperança.

- Fé sem temperança, vira religiosidade, fanatismo, farisaísmo.

- Amor sem temperança vira ciúmes, obsessão.

Fp. 4.5: Seja a vossa equidade notória a todos os homens. Perto está o Senhor.

- Paulo está dizendo aqui: Seja a vossa temperança conhecida de todos os homens.

- Ter temperança é ter controle sobre as paixões.

- É ter sobriedade em suas atitudes.

- Alguém te faz sofrer insultos, Bullying, mas você não baixa o nível, nem perde o controle, porque é temperante, tem domínio próprio.

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos