Home
 
 
 
 
 
 
 

12/11/2019 

            A Importância da Graça de Deus na Vida do Crente

Ef. 2.1-10

Int.- A Graça de Deus é um dos temas de suma importância em toda a Bíblia; por isso aparece mais de cem vezes no Antigo Testamento e mais de duzentas vezes no Novo Testamento. Além disso, ocorre dezenas de vezes mediante palavras sinônimas, como amor divino, Sua misericórdia e bondade.

      A Graça de Deus envolve dois aspectos:

1- O favor imerecido de Deus, por Ele expresso a todos os pecadores.

2- Significa o poder de Deus que refreia o pecado, atrai os homens a Deus e regenera os crentes.

- Neste segundo aspecto, a Graça de Deus opera juntamente com o Espírito Santo, levando o homem a viver nas regiões celestiais.

I- Os Aspectos da Graça.

      Não deve se confundir a graça de Deus como uma obrigação divina.

- Nada ou ninguém pode obrigar ou exigir de Deus a redenção da humanidade caída.

- É somente o profundo e íntimo amor de Deus que O constrange a providenciar a salvação, e até a convencer o homem a aceitá-la.

Jo. 1.16: E todos nós recebemos também da sua plenitude, e graça sobre graça.

      O apóstolo João está explicando que a graça recebida é baseada somente na graça e mais nada.

A) Existe a Graça Comum.

      Devido à natureza depravada do homem, ele é incapaz, de por si mesmo, procurar agradar a Deus. Por este motivo, Deus tem concedido à graça comum ou universal a todo homem. A graça comum é vista em várias formas: nas bênçãos materiais da natureza; na maneira como Deus restringe o mal no mundo, e na fixação da consciência do pecado dentro do coração humano.

Mt. 5.45: Para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.

- Esta graça comum não salva automaticamente o homem, mas revela-lhe a bondade de Deus, e restaura a cada ser humano a capacidade de responder favoravelmente ao amor de Deus.

Rm. 2.4: Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência, e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?

B) Existe a Graça Salvadora ou Graça Especial.

      À medida que o homem responder afirmativamente à graça que o atrai a Deus, ele é beneficiado por uma graça especial, que o ajuda a chegar cada vez mais perto de Deus.

      Nenhuma pessoa pode vir ao Pai sem este poder adicional, esta graça especial, que vence a escravidão decorrente da sua natureza humana depravada.

Jo. 6.44: Ninguém pode vir a mim, se o Pai, que me enviou, o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia.

      Enquanto o homem responder afirmativamente à graça de Deus, esta será o agente pelo qual ele receberá a justificação, a regeneração, a santificação e a segurança em Deus.

I Pe. 1.5: Que, mediante a fé, estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo.

- Está é a segurança que o crente tem da salvação eterna.

- A salvação eterna é concedida ao crente mediante a graça de Deus.

V. 8: Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus.

V. 9: Não vem das obras, para que ninguém se glorie.

- A Graça de Deus nos alcançou e nos transformou.

- Entre tantos bilhões de pessoas na face da terra, você atendeu ao chamado da Graça de Deus.

V. 1: E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados.

- Estávamos mortos espiritualmente e Deus nos deu vida espiritual, mediante a sua Graça.

- Hoje através do Evangelho de Jesus Cristo, desfrutamos das abundantes riquezas da Graça de Deus.

V. 7: Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça, pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus.

- A palavra abundante aqui no grego significa: Extravasar, fazer-se presente em excesso.

- A Graça de Deus na vida do crente é abundante. Deus a dá para extravasar.

- A Graça de Deus é incomensurável rica e abundante.

- As riquezas da Graça de Deus são excessivas, excedem às riquezas deste mundo, em sua imensidade, tornando-se insondáveis. Essas riquezas perduram para sempre.

II- As Características da Graça de Deus.

1- A Quantidade de Graça na vida do crente depende da busca de cada um.

At. 4.33: E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça.

- A quantidade de graça que o crente recebe, depende totalmente da sua própria decisão, e não do interesse ou vontade de Deus.

II Pe. 3.18: Antes, crescei na graça e conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja dada a glória, assim agora como no dia da eternidade. Amém.

- Deus tem Graça para te dar, mas você tem que buscar.

Ef. 4.7: Mas a graça foi dada a cada um de nós segundo a medida do dom de Cristo.

- Nesse versículo subentende que a vontade de Cristo é que determina quais dons são distribuídos, e para quem, e qual a extensão do poder desses dons.

2- O Crente Tem o Dever de se Fortificar na Graça de Deus.

II Tm. 2.1: Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.

- A palavra fortificar no original grego significa: Revigorar, dar energia, adquirir forças, ser forte.

- Nos dá a ideia de fortalecimento sempre renovado.

- Devido ao uso do presente, que indica ação linear ou contínua no grego.

- Quer dizer: O crente deve continuamente se fortalecer na Graça de Deus.

- Aqui trata-se de um fortalecimento no homem interior, a fim de que o crente esteja qualificado para a luta externa, cumprindo devidamente a sua missão no mundo.

3- A Graça de Deus é Multiforme.

I Pe. 4.10: Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

- A palavra multiforme no grego significa: Diversificado, de muitas espécies.

- A Graça divina se manifesta de muitos modos e se concretiza na vida do crente de muitas maneiras.

- Cada crente recebeu tal graça, e está na obrigação moral de concedê-la a outros.

- Aqui no versículo diz que somos despenseiros da multiforme graça de Deus.

- Despenseiro é aquele que administra a despensa.

- É aquele que é o responsável de distribuir os alimentos da despensa.

- O crente tem a responsabilidade de distribuir a Graça de Deus a outros.

4- O Crente Deve Preservar a Graça de Deus Em Sua Vida.

Hb. 12.28: Pelo que, tendo recebido um reino que não pode ser abalado, retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade.

- O crente deve cultivar a Graça de Deus em sua vida.

- O crente deve se esforçar para não perder a Graça de Deus.

- Resistindo às tentações que vem sobre o crente.

- Aqui diz: “Sirvamos a Deus agradavelmente”.

- Sirvamos a Deus de um modo em poder agradá-lo.

- Se o crente não vigiar, a Graça de Deus diminui ou se perde da nossa vida.

5- O Crente é Aconselhado a Esperar a Graça do Arrebatamento.

I Pe. 1.13: Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo.

- Uma graça especial foi prometida ao crente.

- E agora os crentes são exortados a esperar por isso de todo o coração e de mente alerta.

- Essa graça será dada quando da segunda vinda de Cristo.

- Pedro fala no versículo: “Cingindo os lombos do vosso entendimento”.

- Estar de prontidão, guardando a sua mente e a sua esperança na volta de Jesus.

6- A Graça de Deus é Dada aos Humildes.

Tg. 4.6: Antes, dá maior graça. Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes.

- Deus nos confere ajuda graciosa em abundância.

- Deus é doador da graça, mas existem condições.

- Sua graça é outorgada aos humildes.

- Deus resiste aos soberbos, aos orgulhosos.

- Mas Deus dá Graça para aquele que é humilde.

- Seja sempre dependente de Deus.

 

 

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos