Home
 
 
 
 
 
 
 

10/12/2019 

     A Importância do Crente Viver Segundo a Vontade de Deus

Rm. 12.1,2

Int.- Paulo escreveu esse texto numa época totalmente diferente da nossa, há quase dois mil anos atrás, onde muitas coisas que existem hoje não existiam. Porém, existia o pecado, a imoralidade e, o apóstolo identificou a necessidade de uma transformação, de uma renovação.

      Quando se fala de transformação é constatado que há uma necessidade de mudança. O apóstolo identificou que deveria haver uma renovação na mente, na maneira de pensar para poder experimentar a vontade de Deus.

      Mas por que o apóstolo falou isso? Porque que ele destacou a importância da transformação? Esse texto destaca alguns princípios de Deus para as nossas vidas.

      A Bíblia diz que o mundo e suas paixões passam, mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

I Jo. 2.17: E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

      Portanto, para vivermos uma vida reta em um mundo torto, numa sociedade corrompida e manchada, precisamos atentar para alguns requisitos neste rogo de Paulo.

      Viver no mundo e não ser do mundo, andar em meio à lama e não sujar as vestes. Este é o grande desafio! Difícil mas não impossível. Fazendo a vontade de Deus chegaremos do outro lado do mar. Porém, para vivermos os nossos dias aqui neste mundo que jaz no maligno, fazendo a vontade de Deus, precisamos:

I- Ser Uma Oferta ao Senhor.

V. 1: Que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus.

- Devemos oferecer os nossos corpos em sacrifício vivo a Deus como prova da nossa gratidão a Ele.

1- Pelas Misericórdias de Deus.

- Paulo sabia que só conseguiríamos levar uma vida de consagração se fosse “pelas misericórdias de Deus”.

- Misericórdia é quando Deus deixa de dar ao pecador o que ele merece (ou seja, a punição pelo seu pecado).

2- De Uma Vez Por Todas. É o sentido da expressão apresentar.

- Fala de uma entrega definitiva do corpo ao Senhor, como os noivos se entregam um ao outro na cerimônia de casamento.

3- Em Sacrifício Vivo.

- O corpo humano diferente dos sacrifícios do Antigo Testamento não é apresentado para ser morto.

- É claro que quando nos unimos com Cristo, morremos para o pecado, mas, precisamos estar vivos para com Deus.

Rm. 6.13: Tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.

- É um corpo vivificado dentre os mortos que devemos apresentar.

Ef. 2.1: E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados.

- O termo “vivo” indica a permanência dessa oferta, portanto deve ser uma dedicação constante.

4- Santo e Agradável a Deus.

- Para que o sacrifício seja agradável à Deus, precisa seguir o principio normativo que é a santidade.

- Devemos viver a vontade de Deus em constante santidade, consagrados, separados e reservados para o serviço de Deus.

- Nós não precisamos mais oferecer um cordeiro morto sobre o altar. Cristo já fez isso, entregando-se a si mesmo, uma vez por todas obtendo eterna redenção.

- Porém, tudo o que devemos fazer para valorizarmos e honrarmos em gratidão o sacrifício de Cristo é apresentarmos o nosso corpo vivo, pois foi comprado por um alto preço e por isso deve ser valorizado glorificando a Deus.

5- Este é Um Culto Racional.

- Quer dizer: razoável, lógico e sensato.

- Trata-se de um culto oferecido de mente e coração, culto espiritual em oposição ao culto cerimonial.

- E de mente, coração e intelecto.

- É racional em contraste com aquilo que é mecânico e automático.

- O culto racional envolve toda a maneira coerente como nos apresentamos diante de Deus

Hb. 10.21,22: E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus.

      Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo os corações purificados da má consciência e o corpo lavado com água limpa.

- O crente é convidado a se apresentar a Deus com verdadeiro coração.

II- Não Entrarmos na Forma do Mundo.

V. 2: E não vos conformeis com este mundo.

NVI: “Não se amoldem ao padrão deste mundo”.

ARA: “E não vos conformeis com este século”.

      Paulo está dizendo para não nos “amoldarmos com o padrão deste mundo”.

- Temos que ser modelo para este mundo e não o usarmos de modelo.

- O crente que pretende viver fazendo a vontade de Deus, não pode pôr o pé nessa forma e se amoldar de acordo com o sistema mundano, mas, deve ser transformado pela renovação da mente.

- Mundo significa o sistema de valores que a sociedade sem Deus dita e quer que seja aceita.

- É o sistema do homem natural. Esse sistema mundano quer que o pecado seja visto e aceito em relacionamentos “sem preconceito e sem discriminação”, mas condenados pela Palavra.

- Chamam de preconceito e tabus princípios que o Senhor nos deu para sermos abençoados na terra.

- O mundo tenta inverter as coisas, chamando o pecado de virtude, o ilegal de legal, e se você se posicionar contra é taxado de “preconceituoso, ultrapassado e fanático”.

- Nós precisamos assumir o papel de sermos luz e sal, de ser igreja santa e gloriosa, sem mácula e sem ruga, nem coisa semelhante. Precisamos ser praticantes e não somente ouvintes da Palavra.

- O mundo tem a sua forma, do relativismo moral, de ética situacional e da desvalorização da virtude.

- A forma do mundo muda todo dia, em vez de entrarmos nela, devemos ser transformados de dentro para fora.

- Segundo Barclay: “Não devemos ser como o camaleão que assume as cores daquilo que o cerca”.

- Devemos viver o desafio de sermos o sal da terra e a luz do mundo.

1- O sal tempera, dá gosto, conserva e causa sede.

2- A luz irradia as trevas, ilumina o caminho e dirige os nossos passos.

3- O sal insípido não tem valor, não serve a não ser para ser pisado.

4- A luz só é luz se estiver acesa, caso contrário, é igual às trevas.

III- Transformando-se Pela Renovação da Mente.

- Esta é a única maneira de não nos amoldarmos a este mundo.

- Pensar diferente dele para agirmos também diferente. E isso só será possível por uma transformação do interior.

- O termo traduzido aqui para “transformar” é o mesmo que transfigurar.

- Em nossa língua equivale ao processo de metamorfose: uma mudança na forma e na estrutura do corpo (tecidos, órgãos), bem como um crescimento e uma diferenciação no processo de vida de alguns animais, como os insetos e anfíbios, até chegarem ao estado adulto.

- Um grande erudito afirmou: “se o mundo controla nossa maneira de pensar, somos conformados, mas, se Deus controla nossa maneira de pensar, somos transformados”.

- Somente uma transformação interior nos fará altamente capacitados pelo Espírito que habita em nós para não nos amoldarmos com as coisas exteriores.

- O homem é e faz o que pensa! Um pensamento sem os princípios da Palavra de Deus gera o pecado.

Tg. 1.14: Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.

- Só podemos ter um caráter correto com ajuda do Espírito Santo.

Sl. 51.10: Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.

- Davi reconheceu sua total incapacidade, por si só, de viver uma vida à altura do padrão divino. Então ele buscou a ajuda do Espírito Santo, por uma transformação, uma renovação.

Fp. 4.8: Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.

IV- Experimentando a Vontade de Deus.

V. 2: Para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

- A vontade de Deus é que regulamenta a vida do cristão.

- O experimentar nesse texto, não significa testar ou examinar, mas, aprovar por experiência própria qual é a vontade divina.

1- Se Adão não tivesse desobedecido à vontade de Deus, o pecado não teria entrado no mundo, e com ele, a morte.

2- Se Caim fizesse a vontade de Deus em andar errante pela terra, em vez de edificar cidades, Deus teria preservado a sua descendência em vez de criar outra por meio de Sete.

3- Se Enoque não tivesse andado com Deus e feito a sua vontade, certamente teria experimentado a morte.

4- Se Noé não tivesse seguido a vontade de Deus em entrar na Arca, certamente morreria como os demais.

5- Se Abraão não andasse segundo a vontade divina em “andar na presença dele e ser perfeito”, Deus jamais faria dele o pai de muitas nações.

6- Se José não fosse dependente do Deus dos seus pais e fiel a vontade de Deus, certamente teria blasfemado contra Deus ao ser vendido como escravo. Teria cedido às seduções da esposa de Potifar e pecado contra Deus. E não teria sido acusado, nem preso e muito menos chegaria ao governo do Egito.

7- Se Josué e Calebe não tivessem cumprido a vontade de Deus, não teriam sido honrados por Deus para liderarem a maior conquista da história do povo hebreu.

8- Se Sansão não tivesse desobedecido à vontade de Deus, não teria sido seduzido pela beleza de Dalila; enganado e preso pelos filisteus; não teria os olhos furados e servido de chacota para os filisteus.

9- Se Davi não andasse de acordo com a vontade de Deus, certamente não ousaria enfrentar Golias, ou caso o fizesse, seria certamente derrotado e morto pelo gigante filisteu.

10- Se Jesus no Getsêmane não tivesse resistido à angústia da sua alma e se submetendo à vontade do seu Pai, seria impossível o milagre da salvação.

 

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos