Home
 
 
 
 
 
 
 

08/02/20

                                        O Cálice de Bênção                                      

I Co. 10.16.17

Int.: O cálice que tomamos na Ceia do Senhor tipifica a morte de Cristo e seu sofrimento sacrificial pelos pecadores.

      A comunhão do sangue de Cristo refere-se à participação do crente na salvação provida pela morte de Cristo.

V. 16: Porventura o cálice de bênção, que abençoamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? O pão que partimos não é, porventura, a comunhão do corpo de Cristo?

- Primeiro Paulo fala que o cálice que tomamos na Ceia é um cálice de bênção.

- Santa Ceia não é acusação na vida do crente.

- Santa Ceia não é maldição para o crente.

- Santa Ceia é benção na vida do crente.

- Quando Paulo fala que o cálice de bênção, que tomamos, não é a comunhão do sangue de Cristo? Paulo está dizendo que quando tomamos a Santa Ceia, estamos sendo participantes da bênção de Jesus Cristo na nossa vida.

- Por isso que o crente não pode perder a Santa Ceia.

- A cada Santa Ceia que você participa, você está sendo participante das bênçãos de Jesus Cristo.

- Paulo está dizendo aqui que Santa Ceia é comunhão com Jesus Cristo e comunhão com o corpo de Cristo, que é a Igreja.

I- O Pão é Um Símbolo da Comunhão de Todos os Participantes Com Cristo.

- O pão nos lembra das palavras de Jesus.

Jo. 6.51: Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e o pão que eu der é a minha carne, que eu darei pela vida do mundo.

- É exatamente isso que o pão simboliza: o corpo de Cristo que é dado para todos os participantes.

- A comunhão com Cristo e a união dos participantes.

- Tudo isso simbolizado neste único pão.

- Quem come, acredita nisso; quem come deve pensar em Cristo, que está no céu; quem come deve ter comunhão com os irmãos em Cristo, que estão reunidos nesta mesa.

- Não as pessoas que nós escolheríamos a primeira vista, mas às pessoas que Cristo escolheu.

- São as pessoas que Cristo chamou para ser justificadas perante Deus.

- Rico e pobre, casados e solteiros, negros e brancos, todos são iguais na mesa de Cristo.

- Todos somos ricos em Cristo; todos somos pobres por causa dos nossos pecados; todos somos unidos na mesma fé, como Paulo disse.

Ef. 4.4,5: Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação.

      Um só Senhor, uma só fé, um só batismo.

- Existem milhares de igrejas evangélicas, mas todos somos um só corpo em Cristo Jesus.

- Só existe um céu para onde iremos, então temos que nos aceitar como um só corpo.

- Amados, quando pedimos a bênção do Senhor quanto ao que bebemos do cálice à mesa do Senhor, isto significa que todos quantos bebem dele estão participando juntos da bênção do sangue de Cristo.

- E quando partimos os pedaços de pão para comer juntos, isso mostra que estamos participando conjuntamente do corpo de Cristo.

- Jesus na oração sacerdotal pediu ao Pai a união da Igreja.

Jo. 17.22: E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um.

- Jesus nos deu da Sua glória, para que sejamos unidos em um só corpo.

- É a glória de Deus que nos foi dada por Jesus que nos uni.

- Cristo é o cabeça da igreja. O corpo deve formar, juntamente com Ele, uma unidade espiritual.

- A nossa comunhão com Cristo e a igreja, não se dá apenas quando tomamos a Santa Ceia.

- Mas é uma experiência contínua, uma comunhão sustentada pela operação do Espírito Santo.

- O nosso modo de vida mudou desde o dia que aceitamos a Jesus Cristo como salvador, passamos a participar da vida de Jesus Cristo.

- É um processo contínuo de transformação operado pelo Espírito Santo em nossa vida, que nos vai tornando mais e mais semelhante com Cristo.

I Jo. 2.6: Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.

- Quer dizer: estamos em Jesus Cristo, temos que ter o comportamento de Cristo.

- Temos o alvo de andar como Ele andou.

II- Somos Muitos e Somos Um Só Corpo.

V. 17: Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo; porque todos participamos do mesmo pão.

- Paulo aqui não está falando somente da igreja local reunida na Santa Ceia, mas está falando de todas as igrejas, em diversas localidades, formando um só corpo.

- É bonito quando Paulo fala: “Sendo muitos, somos um só pão e um só corpo”.

- Essa é a unidade da igreja, como corpo de Cristo.

I Co. 12.13: Porque, assim como o corpo é um e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também.

- Cada um de nós é um membro do corpo de Cristo.

I Co. 12.13: Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.

- Todos nós fomos batizados no Espírito de Deus formando um corpo.

- E todos temos bebido de um Espírito.

- É o Espírito Santo que nos sustenta na presença de Deus.

- Todos os membros desse corpo são importantes e necessários.

I Co. 12.22: Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários.

- Quem disse que você não é importante na igreja de Deus?

- Aqui Paulo fala: “Aqueles membros que parecem ser os mais fracos são necessários”.

- Você é necessário para o bom funcionamento do corpo.

- Tem um corinho que nós cantamos que diz: “Quero que valorize o que você tem, você é um ser, você é alguém, tão importante para Deus”.

Conclusão: A nossa comunhão é com Jesus e com os irmãos.

- Na Santa Ceia estamos mostrando a nossa comunhão com Jesus e com os irmãos.

- Quem não tem essa comunhão, não tem o direito de participar da Ceia.

- A Santa Ceia revela a nossa comunhão com Jesus e com a Igreja.

- A cada Santa Ceia que participamos essa comunhão é fortalecida.

- Como diz Paulo: “Somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor”.

 

 

 
       
 

Pr. Silvano Doblinski
Presidente da Igreja Assembleia de Deus
do Jabaquara em São Paulo - Brasil







 

 
Mais mensagens
Adicionar AD Jabaquara aos Favoritos